harem and reveries
Here my soul grows 'til it smashes above the scene, the balcony.
22:36
Santuário

Áditos colossais urgem em meio
As cinéreas neblinas de meus sonhos
Ou fora a memória de um verdadeiro
Onde a tez no batismo tive o banho;

De bentas águas preenchida à borda
Ornada de áureos arabescos a ânfora
Despeja o líquido ao passo que uma outra
Serve de vaso a um ramo de cânfora.

Vejo aras, vejo ícones, vejo santos
Flanquearem os muros alvacentos
Vejo o Cálvario, a espinhenta c’roa
Que o crânio de Cristo lhe fez sangrento.

Nas abóbadas que adejam acima
Pairam co’ ela anjos aos rebuliços;
Sem sexo, sem mácula, cujo pejo
Depõe-nos, pecadores, em abissos…

Ó, nebulosas torres ancestrais,
Perfuram os séculos os seus sinos;
As pombas, gralhas, rolas, aves todas
Ao som gorjeiam uníssono hino.

21:32
22:29
Beijarei a verdade santa e nua

Eu parto, porém nenhuma bagagem
As minhas mãos esquálidas suspendem,
Embora esta seja a mais longa viagem
Entre as viagens todas que a antecedem.

Eu deixo, mas levo comigo ao seio
Todos que um segundo a mim devotaram
Uma gota de amparo ao devaneio…
Ou quem à minha dor presenciaram…

Minha alma será livre dos horrores
E meus demônios virão a morrer;
O solo, minha carne, e minhas dores
Vai enleá-las e amortecer…

Na jovem tez, olhos embaciados
Cristalizarão meus sonhos antigos…
Serão a serra, as aves, os relvados
Os meus novos e últimos amigos…

18:34 artisnonsense:

René Magritte( 16 ans sur la photo!!!)
14:04 
Bardarbunga, Iceland
14:04
14:04
22:25
01:56 pinupgalore-lanadelrey:

Lana Del Rey for L’Uomo Vogue, 2014
01:56